Carregando Eventos

« Todos Eventos

  • Este evento já passou.

Defesa de Dissertação de Mestrado — Luiza Aparecida Luna Silvério

fevereiro 6 @ 09:00 - 13:00

Defesa de Dissertação de Mestrado

Luiza Aparecida Luna Silvério

Avaliação de extratos de Rosmarinus officinalis e de resíduos do café como conservantes em formulações de uso tópico

Auditório da FCF

Presidente
Profª Drª Priscila Gava Mazzola — FCF / Unicamp

Membros titulares
Profª Drª Karina Cogo Müller — FCF / Unicamp
Profª Drª Ana Cláudia Paiva-Santos — FFUC

Membros suplentes 
Profª Drª Gisele Mara Silva Gonçalves — FCF / PUC-Campinas
Profª Drª Angela Faustino Jozala — UNISO
Drª Ana Lucia Tasca Gois Ruiz — FCF / Unicamp

Resumo
A pesquisa por produtos naturais para o desenvolvimento de excipientes mais seguros e eficazes é uma área em franco crescimento. Dentre essa classe de compostos, encontram-se os conservantes, que são adicionados às formulações medicamentosas, cosméticas e alimentícias a fim de manter a estabilidade físico-química e microbiológica dos produtos e, assim, sua eficácia e segurança. No presente estudo, foram utilizados extratos de folhas de Rosmarinus officinalis, popularmente conhecida como alecrim, e de subprodutos da produção do café das espécies Coffea arabica e Coffea cannephora para o desenvolvimento de um sistema conservante de origem natural. Dentre os extratos de café, o de C. arabica apresentou os resultados mais expressivos, sendo 43,53 ± 3,49 mg EAG/g de amostra e 2,32 ± 0,11 mg EQ/g de amostra nos testes de fenólicos totais e flavonoides, respectivamente, 12,5 mg/mL de concentração inibitória mínima frente a Escherichia coli e 25 mg/mL frente à Staphylococcus aureus e Pseudomonas aeruginosa. Já dentre os extratos de alecrim, a extração utilizando o método de infusão utilizando etanol 70% apresentou os melhores resultados, sendo 134,59 ± 19,25 mg EAG/g de amostra e 1,69 ± 0,13 mg EQ/g de amostra nos testes de fenólicos totais e flavonoides, respectivamente, 2,5 mg/mL de concentração inibitória mínima frente a E. coli, 1,25 mg/mL frente à P. aeruginosa, 0,3125 mg/mL frente à S. aureus, e 0,04 mg/mL frente à Candida albicans. Todos os extratos apresentaram viabilidade celular maior que 79%, não sendo considerados tóxicos frente a linhagem de queratinócitos humanos. A associação dos extratos apresentou ação parcialmente sinérgica frente a S. aureus e a P. aeruginosa. Assim, os extratos com os melhores resultados foram incorporados a uma emulsão
O/A, que apresentou mudança significativa nos parâmetros de consistência, espalhabilidade, coesividade, viscosidade e pH, em comparação com a formulação contendo conservantes sintéticos, porém se mantiveram estáveis durante os dias de análise. Também foi realizado o teste de desafio. Para os microrganismos S. aureus, E. coli, P. aeruginosa e C. albicans, a formulação atendeu aos critérios exigidos pela ANVISA, podendo-se concluir que a associação dos extratos de café e de alecrim apresenta potencial para o desenvolvimento de um novo sistema conservante.

 

 

 

Detalhes

Data:
fevereiro 6
Hora:
09:00 - 13:00
Categorias de Evento:
, ,

Local

Auditório da FCF
Rua Candido Portinari 200
Campinas, São Paulo 13083-871 Brasil
+ Google Map